Minimalismo a quatro mãos


12 Jan
12Jan

Imagine a situação: você chega em casa, a mesinha de entrada cheia de coisas; não cabe nem a chave. Vai para o quarto e a porta do guarda-roupas não fecha. Seu celular recebe nesse momento a mensagem de fechamento do cartão de crédito, com um valor acima do esperado. A frustração é inevitável até que esbravejamos algo do tipo: "Estou no limite com suas tralhas bagunçando toda a casa !!!".


Certamente essa não é a melhor forma iniciar uma conversa sobre minimalismo, pois com certeza em menos de 2 minutos se tornaria uma discussão daquelas.


Falar sobre minimalismo com o outro não é uma tarefa fácil, mas a boa notícia que temos para compartilhar é que precisamos somente de três coisas para ajudar a trazer a outra pessoa à bordo:


1. As palavras certas

Durante um café da tarde ou após um jantar legal, tenha uma conversa calma e racional sobre: "O que é mais importante para nossa família? Quais as realizações queremos com a nossa família? O que faríamos se tivéssemos mais dinheiro, tempo e energia?". Comece falando sobre um cenário alternativo de como seria a vida de vocês caso tivessem menos coisas com o que se preocupar. Fale daquela viagem dos sonhos, dos passeios de bicicleta ou do encontro de amigos em casa que vem sendo adiado, por conta de dinheiro, tempo, espaço... 


2. No momento certo

Existe um provérbio chinês que diz: "Antes de sair para mudar o mundo, dê três voltas na sua casa". É muito injusto começar a organização pelo armário do outro ou das crianças. Seu próprio espaço deve ser o primeiro a conter somente as coisas que te fazem bem, sem excessos. Cuide do seu armário, da sua mesa de trabalho, das suas coleções e hobbies. Só depois, quando todas as suas coisas estiverem em ordem, fale com a outra pessoa sobre os espaços compartilhados e os benefícios do minimalismo.


3. Com a atitude certa

Neste estágio, as outras pessoas que moram com você estarão vendo o seu exemplo e não apenas ouvindo suas palavras. Mas de nada adianta usar as palavras certas no momento certo se você não o fizer com amor. Tenha uma atitude positiva, carinhosa; seja humilde dizendo que você não é perfeito também e estão juntos nessa caminhada. Por fim, tenha paciência ao conversar com o outro sobre um assunto que o incomoda. Talvez não seja na primeira, na quinta nem na milésima tentativa que tudo dê certo. Cada um tem seu tempo e, sendo um casal, a premissa básica é o respeito nesse sentido. Os benefícios de possuir menos farão sentido para o outro em algum momento. Não importa se for daqui uma semana ou um ano, o minimalismo acaba vencendo no final.


O mais importante é você sentir-se bem em estar fazendo algo pelos seus valores. O que consideramos "minimalismo" é diferente para cada pessoa e o respeito também envolve esta diferença. O essencial é o despertar da consciência de que precisamos de menos para viver mais e melhor.


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.